nº 025
19 de Fevereiro de 2007

Equinócios e Solstícios - I

Equinócio de Outono

Irineu Gomes Varella *

 
O equinócio de outono para o hemisfério sul da Terra ( de primavera para o hemisfério norte ) ocorre quando da passagem do Sol pelo ponto Vernal ( ) ou ponto Gama. A data e o horário da passagem variam ligeiramente de ano para ano. O calendário gregoriano, utilizado em quase todos os países, está organizado de maneira a manter, aproximadamente nas mesmas datas, as ocorrências dos equinócios e solstícios. O equinócio de outono (primavera) geralmente acontece nos dias 19, 20 ou 21 de março.
 
Em 1991, pelo Tempo Legal do Distrito Federal (TDF), tivemos a última ocorrência do início do outono em 21 de março. Durante todo o século XXI, o início do outono irá se alternar entre os dias 20 e 19 de março. Em 2028 teremos a primeira ocorrência em 19 de março. O início do outono retornará ao dia 21 de março somente no ano 2103! Veja as datas e horários de início do outono até o ano 2010, clicando aqui.
 
 
Fig. 1 - O Equinócio de Outono: passagem do Sol pelo ponto Vernal.
 
Quando o Sol, em seu movimento aparente anual no céu, passa pelo ponto Vernal, ele cruza o Equador Celeste dirigindo-se do hemisfério celeste sul para o hemisfério celeste norte. Nessa ocasião ele se encontra localizado na constelação de Pisces (os Peixes). Veja mais sobre o movimento aparente do Sol pela Eclíptica e sua passagem pelas 13 constelações zodiacais.
 
Devido ao movimento de precessão dos equinócios, o ponto Vernal desloca-se lentamente pela Eclíptica, com a velocidade angular de 50,25" por ano, em sentido retrógrado, isto é, em sentido contrário ao movimento aparente anual do Sol. Para completar uma volta, pela Eclíptica, o ponto Vernal emprega 25.790 anos.

 

É muito comum encontrarmos a citação que estamos "entrando na Era de Aquário" - uma alusão à mudança de posição do ponto Vernal da constelação de Pisces para a de Aquarius. A afirmação não é correta. O ponto Vernal adentrará na constelação de Aquarius somente no ano 2597 e em Capricornus no ano 4312 !
 
 
A Terra e o Sol no dia do Equinócio
 

Quando ocorre um equinócio, a linha que une o centro da Terra ao centro do Sol, cruza o equador terrestre, ou seja, o Sol fica a pino ( no zênite, em termos astronômicos ) nos locais situados no equador ( latitude 0º ). A cidade de Macapá-AP, situada no equador, tem o Sol a pino nesse dia. Em outras palavras, no instante de um equinócio, o segmento de reta que une o centro da Terra ao centro do Sol é perpendicular ao eixo de rotação da Terra.

 
 
Fig. 2 - O Equinócio de Outono: a linha que une o centro da Terra ao centro do Sol, cruza o equador terrestre.
 
 
O Movimento Diurno do Sol no dia do Equinócio
 
No dia de equinócio o Sol nasce no ponto cardeal leste e seu ocaso se dá no ponto cardeal oeste. O dia tem a duração de 12 horas e a noite também (*). As figuras abaixo ilustram a trajetória diurna do Sol para a latitude de 0º ( equador terrestre ) e para as localidades situadas ao sul do equador, no dia de equinócio.
 
 
     
Fig. 3 - Trajetória diurna do Sol no Equador
 
Fig. 4 - Trajetória diurna do Sol em uma latitude
 
Nos locais de latitude , o plano da trajetória diurna do Sol forma um ângulo de 90º - , com o plano do horizonte. Assim, em São Paulo ( = 23º 32' S ) o plano da trajetória diurna do Sol formará um ângulo de 90º - 23º 32' = 66º 28' com o plano do horizonte. Em Porto Alegre ( = 30º 02' S ), o ângulo será de 59º 58'.
 
Na passagem meridiana, o Sol atinge a máxima altura sobre o horizonte. No locais situados no equador, ele passa pelo zênite ( altura igual a 90º ). Nos locais situados ao sul do equador e com latitude , a máxima altura do Sol será h = 90º - e o Sol passará ao norte do zênite.
 
(*) Não estão sendo considerados os efeitos da refração, da equação do tempo e, também, do movimento do Sol em ascensão reta e em declinação durante o intervalo de tempo entre a ocorrência do equinócio e o instante do nascer e do ocaso.
 
 
O Movimento Diurno do Sol nos pólos no dia do Equinócio de Outono
 
Nos pólos terrestres, como o Equador Celeste coincide com o horizonte, o Sol descreverá o próprio horizonte no sentido anti-horário para um observador em pé no pólo sul da Terra (Fig.5) e no sentido horário para um observador no pólo norte.
 
 
     
Fig. 5 - Trajetória diurna do Sol no pólo terrestre sul.
 
Fig. 6 - Sombra projetada por uma haste ao meio-dia.
 
 
Sombra projetada ao meio-dia na data do Equinócio
 
Uma haste vertical (Fig.6) de comprimento L, fincada no chão, projetará ao meio-dia, na data do equinócio, em um local de latitude , uma sombra, no solo, de comprimento S dado por:
 

S = L . tan

 
Esse é o comprimento mínimo da sombra da haste durante o dia. Nas localidades situadas no equador terrestre, na passagem meridiana do Sol (ao meio-dia) não há sombra, pelo fato do Sol encontrar-se a pino.
 

Produção, autores e contatos

* Irineu Gomes Varella

Astrônomo. Diretor do Planetário e Escola
Municipal de Astrofísica de São Paulo,
no período de 1980 a 2002.

Priscila D. C. F. de Oliveira

Coordenadora do Centro de Documentação Técnica e Científica em Astronomia do Planetário e
Escola Municipal de Astrofísica de S Paulo.

Ultima atualização: 20 de Fevereiro de 2007
Web Designer: Irineu Gomes Varella


Para receber informações sobre eventos astronômicos e uma mensagem eletrônica a cada Circular Astronômica editada,
participe do grupo informativo URANOMETRIA NOVA do Yahoo! Grupos.